PROGRAMAÇÃO

Conferência de Abertura - 23/09 às 19h 

Aula-show - “Ditadura Militar: um evento e seus destinos”

Local: Auditório Bloco Amarelo Ceart

Profª Drª Miriam Hermeto de Sá Motta

Licenciada (1997) e bacharel em História (1994), mestre em Educação (2002) e doutora em História (2010), tendo realizado toda a formação superior na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professora adjunta do Departamento de História e professora do Programa de Pós-Graduação em História (linha de pesquisa História e Culturas Políticas) da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) da UFMG. Coordenadora do Núcleo de História Oral da FAFICH/UFMG e co-coordenadora do Travessia - Grupo de Estudos sobre Ensino de História (FAFICH/UFMG) e do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Ensino de História (LAEPEH/UFMG). Atua principalmente nas áreas de História do Brasil República (ditadura militar; história cultural; história política) e Ensino de História (produção e análise de currículos e livros didáticos/paradidáticos; formação de professores).

Coordenadora: Profª Drª Márcia Ramos de Oliveira

Graduada em História pela Universidade do Rio Grande do Sul, onde realizou mestrado (1995) e doutorado em História (2002). Em 2017, desenvolveu Estágio Pós-Doutoral na Universidade de Aveiro (Portugal), e atuação como professora visitante. Professora adjunta do Departamento de História/UDESC, sendo professora permanente no Programa de Pós-Graduação em História (FAED) e no Programa de Pós-Graduação em Música (CEART) . Membro dos Grupo de Pesquisa Linguagens e Representação e MUSICS (CNPq/UDESC). Tem experiência nas áreas de História do Tempo Presente, História Cultural envolvendo aproximação com a Musicologia Histórica e Etnomusicologia. A produção e interesses de pesquisa estendem-se a diferentes ênfases, a exemplo da participação de Carmen Miranda e Amália Rodrigues no cinema, Biografia e canção de Lupicínio Rodrigues, História do samba, Radiodifusão, Audiovisual, História e Mídia, Plataformas digitais/ sites e portais na área de história; mobilizando conceitos/categorias de análise relativos a representação e oralidade, narrativa e ficção, memória no âmbito da História do Tempo Presente.

Mesas Redondas

Mesa 1:  Patrimônio Cultural e seus Desafios - 24/09 às 19h 

Local: Auditório Antigo Faed (sala 210)

Profª Drª. Marta Gouveia de Oliveira Rovai

"Patrimônio vivencial, direitos e história pública"

A apresentação na Mesa Redonda versará sobre meu trabalho com comunidades populares, e sobre a constituição, autoria e circulação de seus bens patrimoniais, a partir da concepção de história pública. As narrativas de experiências com coletividades de pescadores, congadeiros e grupos LGBT terão como objetivo provocar reflexões em torno das relações entre memória, ressonância e patrimônio, como forma de se pensar as lutas identitária e o papel da Academia como mediadora, não apenas da divulgação seus saberes e fazeres, mas de debates em torno do direito à diversidade e à conservação da materialidade e das práticas simbólicas que dão sentido à vida. Para realizar esta discussão, será utilizado o conceito de patrimônio vivencial, de José Newton Meneses, assim como serão referências autores como José Reginaldo Gonçalves e Ricardo Santhiago.

Profaª Dra. Carolina Ruoso

"Práticas curatoriais: a História da Arte nas exposições"

Para trabalhar com curadoria de exposições faz-se necessário conhecer a linguagem poética das coisas, saber montar e desmontar no espaço tridimensional as relações entre as imagens e objetos de arte, compondo uma narrativa. Não há manuais de teoria e/ou metodologia dedicado à curadoria, entretanto podemos identificar nas práticas diferentes perspectivas teóricas, nossa apresentação tratará de diferentes abordagens, como o cubo branco, por exemplo. A pesquisa curatorial não é a tradução de uma produção acadêmica, os curadores de arte dialogam com essa produção e tomam posição nos mundos da arte transformando através de embates e negociações a própria escrita da História da Arte. Apresentaremos alguns exemplos de exposições que foram referência para a construção de nomeações para a História da Arte. E concluiremos abordando alguns desafios que estão em pauta na musealização da arte contemporânea: os processos participativos em curadorias de exposição.

Profª Drª. Claudia Rodrigues Ferreira de Carvalho

"O resgate de acervos do Museu Nacional, questões e desafios na recuperação do Patrimônio"

Arqueóloga (UNESA 1994), doutora em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/FIOCRUZ (2004). É professora adjunta do Setor de Antropologia Biológica do Departamento de Antropologia do Museu Nacional/ UFRJ. Desenvolve pesquisas na área de Antropologia Biológica, com ênfase em Bioarqueologia e Paleopatologia. Também está envolvida com questões relativas à Evolução Humana e à Antropologia Forense, à trajetória histórica dos estudos do passado humano e ao estudo de questões ligadas ao Patrimônio cultural, Memória, Museus, Acervos e Coleções. É responsável por disciplinas no Programa de Pós-Graduação em Arqueologia do Museu Nacional e no curso de especialização em Geologia do Quaternário, da mesma instituição. Foi diretora do Museu Nacional/UFRJ de janeiro de 2010 a janeiro de 2018. Coordena o Grupo de Trabalho para implantação do Sistema de Museus Acervos e Patrimônio da UFRJ (SIMAP), desde 2013. É diretora da Casa da Ciência desde junho de 2018 e coordenadora do Núcleo de Resgate do acervo do Museu Nacional, desde setembro do mesmo ano.

Coordenadora: Profª. Drª. Janice Gonçalves

Possui graduação em História (1986), mestrado (1995) e doutorado em História Social (2006) pela Universidade de São Paulo. É professora efetiva da Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC, vinculada ao Departamento de História do Centro de Ciências Humanas e da Educação, bem como ao Programa de Pós-Graduação em História. É também secretária do GT História e Patrimônio Cultural da ANPUH Brasil (gestão 2017-2019). Integra o Laboratório de Patrimônio Cultural (LabPac) da UDESC, do qual atualmente é coordenadora. Editora da revista interdisciplinar PerCursos, vinculada ao Centro de Ciências Humanas e da Edcuação da UDESC, desde 2017. Tem experiência na área de Memória e Patrimônio Cultural, com ênfase nas questões relacionadas ao patrimônio arquivístico, ao patrimônio edificado e à constituição do campo do patrimônio cultural no Brasil (estendendo seu interesse mais recentemente, para a América Latina). Também tem realizado estudos sobre historiografia em Santa Catarina.

 

 

Mesa 2: Resistências no Contemporâneo - 25/09/ às 19h

Local: Auditório Bloco Amarelo Ceart

Profª. Drª.  Amara Moira

Travesti doutora em Teoria e Crítica Literária pela UNICAMP, com tese sobre as indeterminações de sentido no "Ulysses" de James Joyce, mas meus interesses intelectuais são múltiplos, indo da literatura ibérica medieval (que pude estudar mais detidamente durante meus intercâmbios em Portugal, 2008, e Argentina, 2009) à poesia contemporânea, passando por literatura dita erótica, estudos da tradução, feminismo e autobiografias trans. Atualmente, trabalho numa retradução do "Macbeth" de Shakespeare, buscando recuperar, em português, o aspecto bárbaro desses versos, mas junto vou projetando um livro de poemas e de ensaios sobre questões trans. Espero um dia dar conta de publicar uma antologia da poesia misógina brasileira (comentada, para impedir que continuem tratando esses poemas como engraçados ou, pior, eróticos).

Profª Carol Lima de Carvalho

Mulheres Negras em Florianópolis: Redes de solidariedade e estratégias de Resistência no Tempo Presente

Mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP (2019). Graduada em Licenciatura em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (2016). Professora de História da Rede Municipal de Florianópolis (2019). Vice- Presidente da Associação de Mulheres Negras Antonieta de Barros (AMAB). Pesquisadora associada ao Centro de Estudos Culturais Africanos e da Diáspora (CECAFRO) da PUC/SP. Vinculada ao grupo de Educadoras/os Negras/os de Santa Catarina. Conselheira no Conselho Estadual das Populações Afro descendentes de Santa Catarina (CEPA/SC). Uma das integrantes da coordenação da Marcha de Mulheres Negras em Santa Catarina (2015). Atuando principalmente nos seguintes temas: História do Brasil, Ensino de História da África e História de Mulheres Negras.

Geni Núñez

Graduação em Psicologia (UFSC), mestrado em Psicologia Social (UFSC) e doutoranda no Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas (UFSC). Como intelectual indígena guarani, busco focar meu ativismo e produção teórica no fortalecimento comunitário, além de buscar inverter o trânsito colonial dos "objetos de pesquisa". Assim, meus temas de pesquisa são a
a branquitude, a heterossexualidade cisgeneridade dentre outras posições de privilégio estrutural. Atualmente estou organizando um livro sobre não-monogamia, entendendo que ela compõe um dos eixos da colonialidade.

Coordenadora: Profª. Drª. Ana Luíza Mello Santiago de Andrade 

Doutora em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade de São Paulo (2018). Graduada e mestra em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Atualmente desenvolve estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina. Na mesma universidade atua como professora substituta no Departamento de História ministrando disciplinas para os cursos de bacharelado e licenciatura em História. Compõe a equipe de apoio editorial da Revista Tempo e Argumento. Atua principalmente nos seguintes temas: História do Brasil república, imprensa, jornalismo, intelectuais, sociabilidades, história e cidade, ensino de Historia.

Mesa 3: Subjetividades e Linguagens - 26/09 às 19h

Local: Auditório Tito Sena Faed

Profº. Drº. Daniel Munduruku

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Salesiana de Lorena (1989). É doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Indígena. É pós-doutor em Linguística com ênfase na Literatura Indígena, na Universidade Federal de São Carlos. É autor de 52 livros voltados para o público infantil, juvenil e educadores. É Comendador da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da República desde 2006. Em 2013 recebeu a mesma condecoração na Ordem Grã-Cruz. É Diretor-Presidente do Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais. Recebeu diversos prêmios literários no Brasil e no exterior. É membro da Academia de Letras de Lorena. Em 2018 foi condecorado pela Fundação Bunge na categoria Vida e Obra.

Olivio Jekupe

Escritor brasileiro, indígena do povo Guarani. Autor de literatura nativa, começou a escrever em 1984. Iniciou o curso de filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, em 1988, vendendo artesanato para custear seus estudos. Também foi professor do ensino fundamental. Atualmente atua como palestrante e mora na aldeia Krukutu, em São Paulo.

Kunumi MC

Escritor, Músico e Rapper guarani, publicou dois livros infantis, o autobiográfico Kunumi Guarani (Panda books, 2014), e Contos dos Curumins Guaranis (FTD, 2014), que trás relatos das lendas orais guarani. Em 2017 lançou o álbum My Blood is Red e no ano de 2018 o álbum Todo Dia é Dia de Índio. Em 5 de junho de 2019, Dia Mundial do Meio Ambiente, apresentou-se  com vários artistas no show Demarcação Urgente! na Casa Natura Música em São Paulo.

Profª Márcia Wayna Kambeba

Graduada em Licenciatura Plena em Geografia, pela Universidade do Estado do Amazonas, CSTB/UEA. Especialista em Educação Ambiental para o Desenvolvimento Sustentável, pela Faculdade Salesiana Dom Bosco e Mestra em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas- UFAM. Tem experiências em educação para jovens e adultos e na área de comunicação - locução de rádio. É escritora de literatura indígena, poeta, compositora de música indígena em tupi e em português, faz contação de história, faz fotografia etnográfica, militante indígena.

Coordenadora: Profª Drª Luisa Tombini Wittmann

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas (2011). Licenciada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000), bacharel em História pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2002) e mestre em História pela Universidade Estadual de Campinas (2005). Atualmente é professora do curso de História e Pós-Graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Tem experiência na área de História, atuando principalmente nos seguintes temas: História Indígena, Ensino de História, Missões Jesuíticas, Laklãnõ-Xokleng.

Conferência de Encerramento - 27/09 às 16h

"A revolta como forma de inscrição da subjetividade na história"

Local: Auditório Tito Sena Faed

Profº. Drº. Acácio Augusto Sebastião Júnior

Doutor em Ciências Sociais (Política) pela PUC-SP. Professor no Departamento de Relações Internacionais da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios - UNIFESP - campus Osasco. Professor colaborador no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional da UFES. Pesquisador no Nu-Sol (Núcleo de Sociabilidade Libertária) e no grupo de pesquisa "Segurança e Defesa nas Américas" (UFF). Autor de "Política e polícia: cuidados, controles e penalizações de jovens" (2013). Atua nas áreas de Segurança Internacional e Teoria Política Contemporânea com ênfase nos temas Terrorismo, Sistemas de Seguranças, Monitoramentos, Penalizações, Controle a Céu Aberto, Anarquia e Anarquismos, Abolicionismo Penal e Antipolítica.

Coordenador: Profº. Drº. George Fellipe Zeidan Vilela Araújo

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007) e mestrado em História e Culturas Políticas pela mesma instituição (2012). É doutor em História pela Universidade Federal de Santa Catarina. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: História Política, História das Esquerdas, História do Socialismo, História do Anarquismo, Historiografia e História da América Latina. Membro do Núcleo de Estudos de História da América Latina (NEHAL) - UFSC. Filiado à ANPUH, ANPHLAC e SBTHH.

Encontre-nos:

Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Centro de Ciências Humanas e da Educação (FAED)
Av. Madre Benvenuta, Santa Mônica - Florianópolis/SC

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now